Merece uma dose!

Merece uma dose! é como uma mesa de bar.

Transubjetividade

 

Imagine que este poema está em sua mente

Imagine que estes versos são os seus pensamentos

Imagine que a poesia não vem apenas do poeta

Assuma que você é uma peça ativa para o sentido destas palavras

Seu corpo e seu espírito são tão poetas quanto eu

Sua leitura é que escreve esta poesia

Não apenas minhas mãos e minhas escolhas de vocabulário

Sua reflexão, sua crítica, sua atenção

Tudo isso é você fazendo comigo o que eu não conseguiria fazer sozinho

Escrever é uma atividade intersubjetiva

Portanto, assinemos juntos este poema compartilhado

 

 

                                                            Davi & __________________.

 

 

 

Bachelard diz, em seu livro Poética do Espaço, que a poesia é uma atividade transubjetiva, é algo que se dá com as ressonâncias e reverberações que acontecem entre autor e leitor. Acrescento que escrever é uma cópula estética entre subjetividades; cópula no sentido filosófico e sexual; pois uma relação íntima muitas vezes aproxima-se do que seja um ato poético. Como diz Manoel de Barros, “Descobri que servia era pra aquilo: Ter orgasmo com as palavras“.

 

Amém!

 

Davi Queiroz Machado

Anúncios

About Davi Queiroz Machado

Já morri duas vezes, e voltei antes do terceiro dia, não subi aos céus, não sentei à direita ou à esquerda de Deus pai todo poderoso. No entanto, estou num coito divino com as palavras. Como diria Manoel de Barros: “O Poeta é um ente que lambe as palavras e depois alucina”. E a Linguagem é um tema que me interessa muito. Seja literária, filosófica ou cinematográfica. Estou procurando uma síntese entre essa santa trindade, mas não quero me arriscar a fundar uma nova religião. Meus dogmas são diferentes do Dogma em que Lars Von Trier se meteu; minha filosofia ainda não foi defendida, pois ela é mais parecida com uma lança do que com um escudo; minha literatura não tem compromissos com fronteiras geográficas ou culturais. Estou eternamente na atuação do personagem de “Estranho no Ninho”: com a mente sã, e mesmo assim num hospício coletivo que chamamos de sociedade. Melhor assim, talvez eu ganhe um Oscar ou quem sabe uma Framboesa de Ouro. Mas o que eu quero mesmo é tomar, com vocês, intermináveis doses de poesia etílica.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 09/17/2011 by in Filosofia de bar.

Navegação

%d bloggers like this: