Merece uma dose!

Merece uma dose! é como uma mesa de bar.

Deus criou o homem, Eva comeu da maçã e a Avon inventou o Renew.

Autor: Carolina Rodrigues

Aviso: se você for a minha avó, não leia este texto.

Há alguns anos no Jô Soares, assisti a uma entrevista com um advogado do qual não lembro o nome, onde ele dizia que se Deus fosse de carne e osso, poderia ter sido intimado facilmente por indução ao crime. Ele se referia ao aviso sobre a árvore do conhecimento do bem e do mal. Se isso tivesse acontecido, Eva, coitada, ainda sairia como vítima da história mais famosa de todos os tempos. Por sorte do todo poderoso, azar da primogênita, infelicidade de toda a humanidade e júbilo das indústrias de cosméticos, o Direito não é a profissão mais antiga que existe.

Resumo da história: Deus, que não estava num de seus melhores dias, talvez até de ressaca por causa de algum vinho barato, não lembrou da expressão “todo mundo merece uma segunda chance” e cumpriu o que prometeu.  Ao contrário  do que tem lá na Bíblia, usando de toda a sua soberania, o que não é lá grande coisa  já que ele só governava para duas pessoas, proferiu: “ Que haja trevas!”.

Dito e feito.  Tempos depois surgiram as rugas, a celulite, Paula Fernandes e toda a trupe de sertanejo universitário, a Kaiser, a TPM, o kit axé-forró-swingueira, os livros de auto-ajuda, o uísque falsificado, as sobrancelhas depiladas do jogadores e cantores de pagode, o ônibus lotado, a arte pós-moderna e,  e chega. É mal demais pra uma vida só.

Sim, se você ainda não percebeu, o inferno também é aqui.

A gente se acostumou a conviver com o pior lado das coisas. Perdeu-se a estética e o bom senso. E as poucas opções que ainda temos pra tentar desopilar dos problemas cotidianos estão sendo, aos poucos, corrompidas.

A mídia e a indústria fonográfica achando pouco gravar e divulgar cantores medíocres, ainda inventam de premiá-los. Ao assistir o que se auto-intitulam “um dos principais eventos de música do país”, você se desespera e pergunta  onde tudo aquilo vai dar. Não estou dizendo que não se produz mais boas músicas, mas é que tornou-se normal admirar o que é ruim. E pior, incentivá-los a continuar.

Mas, se um dia essas pessoas caírem em si e por causa disso entrarem em depressão, os livros de auto-ajuda estão aí pra isso: com suas dicas de como viver bem com a sogra, como ganhar dinheiro dormindo, como trazer o amado em três dias, como emagrecer comendo apenas feijoada e suas outras milhares de teorias cientificamente comprovadas.

Alguém se perguntou o porquê destes livros sempre estarem entre os 10 mais vendidos? Talvez vendam até mais que a própria Bíblia. E nem adianta pedir perdão, porque isso está fora da jurisdição divina.

No cinema a tecnologia é mais importante que o próprio roteiro. Não precisa ser bom, basta ser 3D. As artes plásticas permanecem no seu dilema de forma e conteúdo. O resultado? O vazio da criação que não tem nada a dizer. Alguém se anima sair de casa pra ir ao teatro assistir a um espetáculo de dança contemporânea? Pra quem nunca viu, vai a dica: sexo entre animais é bem menos bizarro.

Como algumas das nossas mais acessíveis formas de lazer estão em processo de auto-destruição, pouco prazeres ainda nos resta além de comer. E por falar nisso, você não acha algo inconcebível que o excesso de coisas boas faça mal? Como assim se empanturrar de churrasco, chocolate, massas, refrigerantes possa ser um convite pra um mesa de cirurgia?

É, meu amigo, me diz agora onde tá teu deus.

Não ligo pra quem diz que a nostalgia é a negação do presente. Pra ele e quem quiser ouvir: eu te repudio! Eu te repudio! Eu te repudio!

Quero voltar ao tempo em que ligávamos o rádio sem medo de ter que ouvir Luan Santana; quero envelhecer sem ter que comprar o Renew aos 25 anos, quero mostrar que as marcas de expressões de hoje, outrora foram marcas de sorrisos; quero poder conquistar alguém pelo que penso e o que eu sou e não pelo tamanho do meu silicone; quero ir ao teatro e me encantar com o efeito da luz nos movimentos do corpo; quero passar dias pensando no personagem de um livro e relê-lo; quero voltar a ter prazer com um bom drama de produção independente; quero parar diante de um quadro sem ter que me perguntar “isso é arte?”.

Quero viver sem me esvaziar na superficialidade dessa vida moderna.

Mas este inferno não são os outros, somos nós que consumimos e de certa forma aprovamos a continuação disso ao longo dos anos. E nem adianta rezar, pois Deus não irá ajudar. Não percebeu que ele tem ouvido de mercador? Só ouve o que quer.

E  como não acredito que o mundo acabará em 2012,  que Deus, auto-declarado culpado, livre-nos de todo o mal.

Amém!

Anúncios

2 comments on “Deus criou o homem, Eva comeu da maçã e a Avon inventou o Renew.

  1. Daniel
    09/16/2011

    Moça,

    Lendo o texto cheguei a pensar que não seria nada mau que tudo isso acabasse em 2012, não é?

    Parabéns!

  2. Amanda
    09/16/2011

    Carol, adoro esses texto morro de rir lendo eles…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 09/15/2011 by in Filosofia de bar and tagged .

Navegação

%d bloggers like this: